16 de junho de 2009

Greve de bondes inspira o gremista Lupicínio

Em 1953, uma greve de bondes paralisou Porto Alegre. Operários faltaram ao trabalho, casais deixaram de se ver e torcedores não puderam acompanhar as equipes no estádio. Entre eles, um gremista chamado Lupicínio Rodrigues. Desconsolado, sentou-se à mesa de um bar, sacou a caneta e lá mesmo compôs o que viria a ser um dos mais emblemáticos hinos de time de futebol: Até a pé nós iremos / Para o que der e vier / Mas o certo é que nós estaremos / Com o Grêmio onde o Grêmio estiver

4 comentários:

Júlio disse...

Parabéns pelo blog! Serei leitor assíduo.

Abraço,

Júlio

silviaes disse...

Grêmio? Grêêêêêmio?!

Só mesmo com nervos de aço!

Daniel disse...

Sim, Nervos de aço e uma penca de títulos.
Ta beleza o blog aí, Bruno.

Liana disse...

Logo futebol? Mas comentarei. Não existe hino mais lindo! Só podia ser de Lupicínio!