10 de janeiro de 2008

O samba está na moda (e meu charme já era)

Como é bom gostar – sinceramente, sem fazer tipo – de coisas que pouca gente gosta. Há dez anos me sentia o supra-sumo da intelectualidade paulistana ao explicar detalhes sobre a obra de Chico Buarque. Há uns cinco, era gênio por exaltar a revolução musical de João Gilberto. Há dois, gostar de Geraldo Pereira me diferenciava da multidão. Pois bem: falar de Chico se tornou lugar-comum, João Gilberto é citado a cada três minutos e Sem Compromisso é a música pop do momento. Virei burro.

O samba está na moda. A Lapa (RJ) e a Vila Madalena (SP) que o diga. Os bares estão lotados de semi-adolescentes apaixonados por Nelson Cavaquinho, Cartola, Herivelto Martins e Paulo Vanzolini. O primeiro pensamento é inevitável: “O que essa gentalha ta fazendo usufruindo da minha música?". Mas, logo depois, lembro o que pensava na época em que me sentia inteligente: "O que essa gentalha ta fazendo ouvindo música eletrônica? Vai escutar samba, pô!". Conclusão: a "gentalha" estar certa ou errada é um dos mistérios do momento. Enquanto isso, vou tentar conhecer melhor a música romena. Ou ficar mudo.

4 comentários:

ana_flauta disse...

Ouve "Mar de Sophia"!rs.

Otavio Ranzani disse...

opa bRuno! muito bom o blog... interessante! escuta samba ao contrário... Abraço, Otavio ( http://canelacafe.zip.net )

Anônimo disse...

Hehe, sinto extamente o mesmo!
Agora só ouço trilhas de fimes. Dica: Danny Elfman
Thiago Corrêa (www.thiagocorrea.com)

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado